segunda-feira, 29 de novembro de 2010

FC Porto 14.º e Barcelona melhor clube do século XXI

O FC Porto, com o 14.º lugar, é o emblema português com a melhor classificação na lista dos melhores clubes de futebol da primeira década do século XXI, numa lista liderada agora pelo FC Barcelona.

O clube espanhol, com 2459 pontos, ultrapassou os ingleses do Manchester United, segundos classificados e que agora contabilizam 2439.

O FC Porto soma 1802 pontos, à frente do Sporting, 26.º classificado, com 1467.

O Benfica é o terceiro melhor classificado entre os portugueses, na 43.ª posição (1321,5 pontos).

A tabela, divulgada pela Federação Internacional da História e Estatísticas do Futebol (IFFHS), coloca o Liverpool em terceiro lugar, à frente de Arsenal, Inter e AC Milan.

O Bayern Munique ocupa o sétimo lugar, o Real Madrid o oitavo e o Chelsea o nono, enquanto a 10.ª posição está entregue à AS Roma.

- Lista dos melhores clubes da primeira década do século XXI (a três meses da conclusão):

1. FC Barcelona (Espanha) 2459,0 pontos

2. Manchester United (Inglaterra) 2436,0

3. Liverpool (Inglaterra) 2362,0

4. Arsenal (Inglaterra) 2348,0

5. Inter Milão (Itália) 2275,0

6. AC Milan (Itália) 2237,0

7. Bayern Munique (Alemanha) 2231,0

8. Real Madrid (Espanha) 2168,0

9. Chelsea (Inglaterra) 2165,0

10. AS Roma (Itália) 1959,0

---

14. FC Porto (PORTUGAL) 1802,0

26. Sporting (PORTUGAL) 1467,0

43. Benfica (PORTUGAL) 1321,5

89. Sporting Braga (PORTUGAL) 906,5

141. Boavista (PORTUGAL) 656,0

145. Marítimo (PORTUGAL) 645,5

198. União Leiria (PORTUGAL) 525,5

211. Vitória Guimarães (PORTUGAL) 497,0

224. Belenenses (PORTUGAL) 482,5

243. Nacional (PORTUGAL) 463,5

254. Vitória Setúbal (PORTUGAL) 456,0

259. Paços de Ferreira (PORTUGAL) 447,5

332. Académica (PORTUGAL) 360,5

459. Gil Vicente (PORTUGAL) 261,5

468. Beira-Mar (PORTUGAL) 254,5

481. Rio Ave (PORTUGAL) 246,0

488. Naval (PORTUGAL) 243,5

501. Estrela da Amadora (PORTUGAL) 232,0

601. Leixões (PORTUGAL) 168,0

612. Moreirense (PORTUGAL) 158,0

775. Alverca (PORTUGAL) 97,5

791. Varzim (PORTUGAL) 92,0

826. Santa Clara (PORTUGAL) 81,0.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Porto x Benfica - o day after

Eu já tinha prometido a mim mesmo evitar falar aqui sobre futebol, uma vez que reparo, é um tema demasiado recorrente neste blog. E eu não quero isso. Contive-me enquanto pude mas não posso deixar de reavivar a memória do 5 - 0 do passado fim-de-semana como forma de combater o marasmo instalado e as toalhas arremessadas ao chão no sentido em que a coisa perdeu o interesse e uma vez que já há campeão nacional para esta época, está tudo dito.

Não. Só perdeu o interesse para os adversários do FCP que ficam diminuídos financeira e desportivamente. Porque confirma o ridiculo dessa ideia levantada durante a época passada pela direcção do Benfica de que se tinha iniciado um novo ciclo. A esses, os 5 a 0 não vão servir de nada nem ensinar coisa nenhuma. Assente a poeira do jogo, disfarçada a vergonha do massacre vão voltar às histórias do disco riscado. Apesar dos 15 campeonatos conquistados nos últimos 25 anos, 2 títulos de campeão europeu e do mundo, uma taça UEFA e umas mãos cheias de outras glorias, esses vão continuar a bater na tecla do descrédito.

É uma questão de tempo até se voltarem a esconder debaixo das mantas de retalhos que vêem coleccionando para negar mérito a quem o merece. Voltam às histórias da viagem dos Calheiros ao Brasil, às escutas da "fruta" e do "cafézinho" que um árbitro terá bebido em casa de Pinto da Costa em vésperas desse «importantíssimo» Beira Mar x Porto de 2004/05 onde o FCP alinhou com as reservas e só ganhou já nos descontos com este golo. Enfim, vão voltar ás histórias que estamos todos carecas de ouvir e continuam a não aprender a lição.

Por um lado, até é bom que assim seja. É sinal que o FCP vai continuar a levantar taças e eles a vê-las passar, bêbados de um ódio cego, preferem apontar o dedo a alguma coisa ou a alguém para justificar os seus próprios insucessos. Desta vez foi Jorge Jesus, como já antes haviam sido as arbitragens e o guarda-redes Roberto. Por outro lado, preocupa-me que assim seja. Gente pequenina, invejosa, que do alto da sua mesquinhês prefere denegrir e caluniar o sucesso alheio ao invés de se corrigir e trabalhar para lhes seguir o exemplo. É que afinal, eles são um reflexo do país que temos.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Portuguesadas


Se há coisas que me irritam profundamente na portugalidade é ir numa estrada, que pode até ter duas ou mais faixas de rodagem no mesmo sentido, a horas completamente serenas, tipo meio-dia no IC19, e apanhar com 1Km de fila só porque: Houve um acidente com chapa amachucada, os carros acidentados já nem estão a ocupar a faixa de rodagem, mas há umas BESTAS que abrandam, travam, quase que páram para ver o que se terá passado, formando assim coágulos sucessivos que acabam por provocar a trombose da via. Má sorte ser português.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Mourinho, José


Se sempre admirei Mourinho, depois de ter ouvido a conferência de imprensa desta manhã, passei a idolatrá-lo. Transmitiu, uma vez mais por palavras, o seu carácter de Homem (com h grande).
Em resposta ao apelo da selecção nacional disse: «Vou a custo zero, nem a gasolina quero que me paguem» e «a selecção é para dar e não para receber, onde se vai para deixar tudo e não trazer nada». Um discurso esclarecedor de um altruísmo sincero e um exemplo de patriotísmo revelador.
São pessoas como ele que nos motivam e fazem ainda acreditar num país de valores distorcidos e com a moral às avessas. Zé, és grande!

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Estive de férias


Fui só eu ou este ano tivemos um verão a fazer lembrar os tempos em que havia francamente quatro estações no ano bem definidas? Que coisa mais boa: dias de céu azul, sem vento e sol escaldante, água do mar 3 ou 4 graus abaixo da temperatura do ar a fazer lembrar as Caraíbas, noites de calor à antiga em que dá gozo ficar no paleio noite fora a olhar o céu. Um mimo. Já não me lembrava de um Agosto assim.

Agora, acabou-se o bem bom e volta-se à labuta. Vá, coragem.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Os 80's e os Azeites

Foram recentemente editadas fotos vintage de Jon Bon Jovi, Richie Sambora e do resto do gang a brincarem aos médicos com algumas groupies no quarto de hotel depois de um concerto. Não consegui deixar de partilhar convosco. Isto, meus amigos, é que era forrobodó. E não pensem que só acontecia com os Bon Jovi ou que era só de vez em quando. Estas cenas repetiam-se invariavelmente todas as noites depois de cada espectáculo. Ás vezes até mesmo os roadies, motoristas e assistentes de palco tinham sorte.
É que, naqueles tempos ser groupie era coisa de gaja. Seguir as bandas para todo lado, ficar na primeira fila em cada concerto, saber cantar as musicas todas de cor era coisa de gaja. A grande vantagem dos musicos é que depois era fácil retribuír-lhes, era só esperar pelo final dos concertos, convidar uma duzia escolhida a dedo para o champagne nos camarins e a partir daí...
É por estas (e eventualmente por outras bem mais giras) que naquela altura toda a gente queria ser estrela. Tocar ou estar numa banda, para além de reconhecimento e dinheiro, significava poder renar com todos os pares de maminhas que se conseguisse aguentar.
E hoje?


terça-feira, 13 de julho de 2010

Esta deve doer

Lembram-se da estrela, uma das principais, da série de tv Beverly Hills 90210, Tori Spelling?
Filha do reputado produtor de televisão Aaron Spelling? (não, não estou a dizer que foi por isso que a moça se fez ao pequeno ecran), lembram? Pois bem, f"#%-$&. Eu sei que ninguém deve cuspir para o ar, mas isto?! Olhem-me para aquele silicone. Aquelas mamas estão com uma enorme depressão, direi mesmo muito perto do suicídio.

domingo, 11 de julho de 2010

Optimus Alive 2010


Sou "cliente" desde o primeiro dia, todos os dias. Mas, o "melhor cartaz de 2010" deu no pior festival deste ano :( Medo!

quinta-feira, 1 de julho de 2010

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Espanha 1-0 Portugal

E pronto, chegou ao fim a epopeia dos navegadores portugueses no mundial 2010 na Africa do Sul. Um tiro certeiro de Villa afundou a caravela e fez seguir em frente a armada espanhola. Não tivémos hipótese, os espanhois foram francamente superiores no dominio de jogo, tiveram mais bola, criaram muito mais oportunidades que só não resultaram em golos devido à irrepreensível exibição do guarda-redes Eduardo, um verdadeiro heroi. Pronto, para nós acabou. Quatro jogos disputados, dois empates, uma vitória, uma derrota e apenas um golo sofrido.

E agora? Agora, ao contrário de alguns de vocês, estou convencido que temos em Queiroz o homem certo para liderar os destinos da selecção. Tem defeitos como todos nós, claro, também ele falha como os grandes jogadores falham penalties em momentos decisivos. Mas o homem sabe do negócio, só precisa de tempo e dentro de dois anos estou certo que teremos uma equipa ainda mais competitiva. Assim as bandeiras portuguesas permaneçam nas janelas, mesmo não estando lá.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Portugal 0-0 Brasil

Porreiro. Eu cá gostei, apesar de não ter havido golos. As duas selecções já estavam apuradas para os oitavos e deu nisto. Mas serviu para notar algumas outras coisas: A crescente dinâmica da equipa, Danny incansável fazer um mar de kilómetros e recuperações, confirmar o grande momento de Coentrão e a confiança de Eduardo; dar minutos a um Pepe gladiador; testar a formula já usada de só ter Ronaldo sozinho na frente e acima de tudo silenciar a basófia do futebol brasileiro e fazer-lhes ver que afinal também eles podem cair. Com alguma sorte, voltaremos a ver-nos na final... penso eu de que.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Portugal 7-0 Coreia do Norte

Ou como passar de besta a bestial em noventa minutos. Num único jogo, desta vez contra a equipa (teoricamente) mais fraca do grupo de apuramento, tudo muda. Calam-se os velhos do Restelo, sorriem de alivio os profetas da desgraça e de repente já vamos ser campeões do mundo.

Três pontos meus amigos, para além disso, ainda não ganhámos nada. O resultado mais volumoso de sempre da selecção em fases finais só pode ter para já uma única leitura: servir de motivação. Claro que nos deixa com um pé e meio nos oitavos-de-final, visto ser improvável que a Costa do Marfim ganhe por 6 a 0 à Coreia e Portugal leve 3 sem resposta do Brasil. Prefiro não me meter nestas contas. A vitória traz coesão ao team e com ela, a boa forma e a alma extra que tanto tem faltado. Porra!? Nunca mais é sexta-feira...

terça-feira, 15 de junho de 2010

Costa do Marfim X Portugal

Foi bom. Podia ser melhor, claro que sim. Todos queriamos ter ganho, de caretas. Mas não deu. É preciso pensar que o team africano não é tosco e que connosco formam a dupla que em teoria irá disputar a passagem na fase de grupos. Foi claramente um jogo de empate, o primeiro na fase final, é sempre um jogo que quem perde compromete o futuro na prova. Eles, simplesmente não quiseram perder este jogo, mais do que nós não conseguimos ganhar. O nulo do resultado final reflecte a justiça do jogo. Foi pena. Um rasgo de génio concretizador e tudo seria um mar de rosas. A lógica no futebol... é uma batata.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

José

...de Mourinho. José Mourinho. Quantas vezes acontece isto na história recente de um país como Portugal? Duas? Três? As histórias de caminhos de sucesso trilhados a pulso por homens de espirito vencedor como este não são muitas. Eusébio, Futre, Figo, Cristiano Ronaldo. Uns mais do que outros alcançaram um estatuto que transcende a nacionalidade. Mais que portugueses, são talentos do mundo. A portugalidade cai invariavelmente para segundo plano.

É da nossa gente, está-nos no sangue. Nunca olhamos para os exemplos de sucesso e dizemos: «vou tentar fazer como ele». Ao invés de aprendermos com eles, preferimos não ir por aí.
De que serviria a Vasco da Gama descobrir o caminho marítimo para a India se outros não lhe seguissem a rota? Que interesse teve Cabral em alcançar o Brasil?

O português é invejoso por natureza. E quando inveja, desdenha. Mais importante que o talento que se tem, é sempre o sucesso que se alcançou e o dinheiro que se ganha, que estão em cima da mesa. Invocamos a sorte, e com toda a arrogância do mundo desvalorizamos os feitos alcançados. É a mediocridade instituída.

Por isso me congratulo com Mourinho. É que no caso d'ele, é sem espinhas. Inatacável, o exemplo mais-que-perfeito. A custo de muito trabalho, talento e saber rodear-se das pessoas certas, é um vencedor em todos os terrenos. O "tuga" que sempre teve o desejo secreto de o ver caír, está agora a engolir em seco a vê-lo, com orgulho, levar a bandeira das quinas na mão na hora da consagração europeia. Que venham muitas mais taças. E hão-de vir.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Promulgou?


O presidente deu luz verde à lei que aprova os casamentos homossexuais no nosso país. Tá certo. A partir de agora a lei tem todas as condições para se tornar executória. Cavaco disse que o fez para não desviar as atenções da crise que o país enfrenta.

Será por isso também, que Sócrates anunciou o aumento de impostos no dia a seguir ao benfica se ter sagrado campeão?

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Parabéns

Quero aqui deixar a todos os benfiquistas os meus sinceros parabéns pela conquista do campeonato deste ano. Defendo, como sempre defendi, que faz bem ao país em geral e ao jogo em particular, haver alternância de vencedores. Foram, no final a que somou mais pontos, logo, a melhor equipa. Por isso, parabéns.

Claro que houve casos, demasiados casos para um ano só. Dir-se-á que tivesse sido outra a conjuntura e o desfecho não seria igual. Até o SCBraga poderia ter sido merecidamente campeão. Mas não, foi o benfica. Parabéns.

Aconteceu na última jornada, dir-se-á que foi por uma unha nesga. A supremacia da equipa campeã só se ter materializado no último jogo da competição, acabou por a tornar mais vibrante. Parabéns por isso.

Todos sabemos que é a conquista que vai ficar para a história e não a forma como ela foi a todo custo conseguida. Para mim sempre foi claro que não há campeão sem sorte, nem em Portugal nem em canto nenhum do mundo. O Benfica, este ano teve a sorte de conseguir centralizar atenções e rodear-se de uma dinâmica que viria a revelar-se vencedora. Parabéns.

Diz-se que o país agradece o facto de ter sido o benfica o campeão. Alguns dirão que até a economia se fortalece por isso. Não estou a ver como, exceptuando se estivermos a falar da economia própria do clube, da dos jornais desportivos diários ou da benfica tv. Mas a ideia é audaz, engraçada e ajuda à festa. Parabéns.

Resta-me desejar boa sorte para o vosso clube nas competições europeias do ano que vem e que aí conquistem para Portugal o maior numero de pontos possível. Cá dentro, compreenderão que se fôr outra côr a ganhar, vou gostar no fim, de ver da vossa parte a capacidade para devolverem os... parabéns!

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Calça ao fundo do cu


A primeira vez que vi, foi na minha última viagem a Miami e dei de barato que aquelle "nigga" se tivesse esquecido do cinto ou estivésse a usar as calças do irmão mais velho. Depois convenci-me que tinha de ser uma qualquer moda nova lá pelas paragens de South Beach, porque a cada esquina me cruzava com boxers de todas as cores e feitios. WTF?!? Pensei, estes gajos inventam com cada anormalidade. Passado algum tempo vejo que a tendência se tinha expandido e até chegado à Lusolândia.

Compreendo que todos os adolescentes atravessem momentos de fraca clarividência na percepção das tristes-figuras que fazem, também eu a esse nível, terei cometido os meus sacrilégios. É que, se um ténis Sanjo branco com uma t-shirt rendada cor-de-salmão, num gajo, pode não ser uma visão muito agradável, pá, a cor das vossas cuecas é que não interessa minimamente. Nem a mim, nem a ninguém. Além de que, vocês parecem uns espantalhos mal enjorcados a andar. Dá dó ver-vos a subir escadas e a meter os chispes pró lado em esforço para as calças não caírem.

Mais, a origem dessa "moda" está nas prisões norte-americanas onde se utiliza esse gesto como um sinal de disponibilidade para o sexo anal entre os reclusos. Por forma a passarem despercebidos aos guardas, os marmanjos que querem abafar a palhinha deixam descaír a cintura às calças, transmitindo assim um sinal claro de receptividade aos machos-cobridores.

Portanto, se a ideia é anunciar ao mundo que se quer atracar de ré, estou convencido que haverá formas bem mais inteligentes e subtís de o fazer. Andar com a peida à mostra não vos torna mais desejáveis, não é cool, é foleiro, é reles, é chunga. Por isso meus caros, façam um favor a vós próprios, puxem as putas das calças para cima!

segunda-feira, 3 de maio de 2010

hoje

...ele há segundas-feiras assim ;)
(de peito inchado, sorriso rasgado a olhar de soslaio para a laia vermelha)
...ihihihihihi

sexta-feira, 30 de abril de 2010

O tasco

E o dificil que é arranjar um sítio para se jantar com um grupo de amigos a ver a bola pela televisão. Irra. Só se pede: comida da boa, um ecran de dimensões generosas com SportTv num sítio onde se possa fumar. Sugestões, alguém?

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Peixe acha

Ontem fui aqui e quase que apanhei uma neura. A iniciativa chama-se Peixe em Lisboa 2010 e eu fui porque tinha gostado da de 2009. Ali no pavilhão de Portugal, estão algumas tasquinhas onde se podem provar a preços aceitáveis várias iguarias de peixe e/ou marisco confeccionadas por reputados chefs, acompanhados uma quantidade considerável de vinhos Abel Pereira da Fonseca.

No ano passado foi um belo e sereno serão, mas ontem, estava que nem se podia: horrores de gente, faltava água para lavar os copos entre cada prova; não havia onde abancar, não se comia nada de extraordinário, excepção feita à triologia de ouriço-do-mar com ostra e vieira do espaço Ribamar que estava uma maravilha, fora isso provei um bacalhau do Tavares (esse mesmo, o restaurante mais caro de Lisboa) que estava uma bela merda. Há uma imensidade de pratos com nomenclatura tentadora, mas é impossível aceder-lhes tal a populaça que rodeia os balcões. Imagino o que não será este fim-de-semana. Deus me livre!

Só para que se perceba acabei a noite à beira rio a engolir um belo bife com molho de cerveja preta.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Jornais de hoje II

Por norma, não sou cliente de jornais desportivos. Em primeiro lugar, porque, à parte da informação factual e estatística, considero o jornalismo desportivo como o parente pobre da classe. Salvo raríssimas excepções, é feito pelos jornalistas mais fracos e menos dotados para a matéria. Depois, porque nunca senti necessidade de aprofundar os assuntos do jogo. São sempre recorrentes. Os jogadores treinadores e dirigentes dizem sempre as mesmas coisas nas mesmas circunstâncias, é portanto, informação que dispenso. O futebol para mim é entretenimento e nesse sentido, confesso que tenho achado graça às capas dos três tablóides nacionais.

Já aqui há 2 posts abaixo tinha referido a discrepância e a oportunidade dos assuntos abordados. Mas olhemos para mais um (belo) exemplo: o de hoje, segunda-feira, dia 29 de março.
Ora o Jogo faz capa ao regresso de Hulk e à sua exibição de bom nível no jogo de ontem à noite.
A Bola continua a prestar vassalagem aos seus patronos inspiradores e publica uma imagem do jogo de ante-ontem, elevando Luisão (o marcador do golo contra o Braga) à condição de semi-deus e por causa disso muito requisitado na europa do futebol. A vitória do Liverpool sobre o Suntherland ocupa um espaço igual à do Belenenses x Porto, pelos mesmos numeros, embora esta última relegada para a lateral. O avançado espanhol Torres tem a mesma dimensão de Hulk.
Hilariante é mesmo o Record (o orgão oficial não-assumido dos encarnados) que qual jornal das efemérides vermelhas, traz na capa o ex-internacional português Rui Costa que completa hoje trinta e oito primaveras. Parabéns Rui, por toda a admiração que nos mereces. Admiração essa que será igualmente repartida por outros ex-internacionais portugueses como Fernando Gomes; Chalana; Jorge Costa; Domingos Paciencia; Jordão; Néné e até Eusébio. Não me lembro de uma capa de jornal que assinalásse o aniversário de um d'eles. O Record leva o prémio Caras do futebol. E qualquer dia publica relatórios de encomenda nas reuniões Tuperware organizadas pela Margarida Prieto no museu da águia ou as actas do Jockey Club do Manuel Damásio. Rídiculo.

quinta-feira, 25 de março de 2010

Vai mal a liga


O chefe-mor Herminio Loureiro fez a única coisa que lhe restava fazer. Demitir-se. Já o Ricardo Costa só pode ser demitido em assembleia, ou seja pela maioria dos clubes. Mas há uma coisa que se chama "vergonha-na-cara", funciona como uma espécie de bote salva-vidas que permite abandonar o barco numa saída com a dignidade possível. No futebol como na política nunca percebi a teimosia de alguns em manter cargos que são insustentáveis. Mas isso sou eu.

quarta-feira, 10 de março de 2010

Jornais desportivos de hoje



A julgar pelas capas (de dois) dos três diários desportivos de hoje, nota-se perfeitamente que o FCPorto acabou de ser eliminado da principal prova europeia de clubes, não nota?

É inegável que há, sempre houve e haverá um tratamento jornalistico diferenciado consoante o clube a se refiram as notícias. Eu até percebo que isso aconteça, afinal também os jornais são instituições financeiras, vivem de lucros e precisam de captar o seu público alvo. O que não se percebe é que os seus responsáveis editoriais não assumam frontalmente essa tendencia e, de uma vez por todas, venham a terreno dizer simplesmente que ganham mais a falar de vermelho que de azul, que o peso da notícia é irrelevante e só ganha importância quanto mais se aproximar de determinada gama de cor.

Se nas vitórias recentes do F.C. Porto o tratamento diferenciado foi sempre evidente (nas vitórias mais antigas chegou mesmo a ser vergonhoso), já nas derrotas, ainda mais tratando-se de uma derrota histórica como a de ontem à noite, não se percebe. Já nem discuto o critério jornalistico no tratamento da notícia. Que mais não seja perde-se o timming, o sentido de oportunidade, acima de tudo a actualidade da notícia. Afinal, tanto Sporting como Benfica só vão jogar ...amanhã.

Ao menos nos tempos do jornal -O Incrível- sabiamos com o que contar. A capa apregoava «Chovem burros na Irlanda», a malta ía a correr comprar para saber do insólito meteorológico e lá dentro vinha a saber afinal que um agricultor tinha levado o burro a passear de balão e acontecera uma fatalidade.
Já no caso dos jornais desportivos portugueses, vira-se a página e toca invariavelmente ao mesmo. Há anos que é assim. Não mata, mas mói.

segunda-feira, 1 de março de 2010

Julgo que sim

...que com esta vai ser muito dificil ao Porto revalidar o título este ano. Enfim, era o bi-penta. Olha, se não for o Porto que seja o Braga.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Os óculos Prada do Abrunhosa

Ontem, vi isto em directo (eu e mais uns 130 mil portugueses. Sim, que os outros estavam a ver outros canais)


Pá, e fiquei embaraçado pelo homem. Pior, só mesmo se ele tivesse deixado caír o microfone.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

I-Pad

Os senhores da maçã estão na vanguarda a produzir os gadgets que desejamos. Este é "só" o próximo.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Passou ao ataque (já não era sem tempo)

Ontem num discurso em Espinho Jorge Nuno Pinto da Costa afirmou: «inventaram apitos dourados» e «foram arquivados todos os processos». Continuou dizendo que «reinventaram novos apitos» e que estes «foram novamente arquivados», lembrando que «recorreram e estes voltaram a ser arquivados pela Relação». «Em todos esses processos, fui em tudo ilibado» frisou Pinto da Costa. Terminou considerando: «Se inventarem apitos de outras cores, não sei se depois de concluídos esses casos poderão [outros] falar como eu estou a falar hoje»

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Online radio

Depois do video ter acabado com o artista de rádio, agora, que a realidade aniquilou o artista do video, este é só um exemplo recente do porquê de a telefonia sem fios estar no estado em que está (Sim, é só clicar no play).

Hype Machine Radio Show #14: Music Blog Zeitgeist 2009 Top Tracks (January 2, 2010) by hypem

Afinal, a radio ainda é um bem necessário? Que me dizem?