sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Vou pró sol...

O parque natural da Ria Formosa espera por mim. Inclusivé já mandou dizer que a cerveja está no frio e a conquilha anda gordinha. É aqui mas não digam a ninguém, senão daqui a uns anos aquilo parece Albufeira.

Entretanto deixo aqui uma prenda aos meus amigos mais saudosistas, para ajudar a quebrar o tédio do mês de Agosto em Lisboa.
Entretenham-se
Beijinhos, volto qualquer dia

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Ensaio sobre a mudez

Um destes dias estava à conversa sobre cantores (e cantoras) Portugueses bons e maus e em como há d'eles maus que evoluem para o médio bom, outros que se tornam ridículamente maus e alguns mesmo péssimos. Confusos? Eu passo a explicar. Para que vocês entendam o meu ponto de vista, relaciono metodicamente três argumentos que para mim são essenciais para se discutir uma "voz". Vejamos, em primeira instância -A ALMA- se a voz não tem alma, carácter, personalidade própria, então nem sequer chega a ser uma voz, limita-se a ser um instrumento de comunicação, deve ser usado apenas como tal (de preferencia baixinho para não me ferir os ouvidos). Depois há - O TIMBRE- o elemento que torna cada voz única e diferenciada. Trata-se de uma característica genética inerente a cada pessoa e que se altera com a idade, uns têm um timbre agradável, outros não. Finalmente, a -CADÊNCIA- a forma como se respira, como se "ataca" a palavra, como se pontuam as frases, como se usam as inflexões, ao fim ao cabo, a forma como se transmitem emoções através da voz.
Ora, este ponto prévio só para vos dizer que se o Zé Manel (o gajo dos Fingertips) tivesse nascido em Los Angeles era hoje, provavelmente, um ídolo de classe mundial. Que o João Pedro Pais e a Mafalda Veiga deviam casar, só estragavam uma casa (desde que não procriássem). O Tiago Bettencourt devia ir cantar para o gargalo da garrafa de wisky do Jorge Palma. A Marisa devia trocar o nome para Amália di Rodrigues e o David Fonseca tem de se ver livre da pedra que tem debaixo da lingua quando canta.

Micro...quê?

Ontem fiz um Microsoft Update, pedia-me para instalar o Service Pack 3, eu disse que sim.
Só acabou de instalar agora. Já nem me apeteceu ir ver que novidades traz ...Humpf!

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Top 10 de cenas que só um gajo pode fazer ...e elas nem por isso!

10 - TOPLESS - Sim, elas podem fazer nas praias. Mas nós podemos fazer em TODO o lado. A correr, a jogar à bola, a andar de bicicleta, etc ...basta-nos tirar a camisola e já está. Se estiver mesmo muito calor até podemos entrar assim no café e pedir uma imperial.

9 - TOLERÂNCIA AO ALCOOL- Desculpem lá meninas, mas nós gajos estamos genéticamente melhor preparados para aguentar a bebida que vocês. Os homens produzem maior quantidade da enzima responsável pela protecção alcoolica do organismo. Na prática, enquanto vocês estão há cinco musicas a dizer que esta é uma g'anda musica, nós ainda conseguimos debater o aquecimento global.

8 - SER PELUDO - Pois, nós inclusivamente geramos modas de usar pelos. Barbinhas "à foda-se"; bigodinhos "à hitler"; patilhas "à campino" ...além disso podemos ter pelos no peito, nas pernas, debaixo dos braços, nos ouvidos e até no nariz. As mulheres? Bem, elas podem tentar ser como nós, mas duvido que consigam um abraço de alguem que não partilhe com elas essa "beleza natural".

7 - PERCEPÇÃO ESPACIAL - Os homens são muito melhores a ver as coisas como elas realmente são ...em 3 dimensões. Os gajos têm maior aptência para distinguir formas geométricas do que as gajas, isso explica o porquê de haver mais génios matemáticos homens.

6 - SER DESPORTISTA À SÉRIA - Sejamos honestos, A Bola ou o Record já alguma vez fizeram capa com o campeonato nacional de futebol feminino?! Não! Convenhamos, elas até praticam uma série considerável de desportos e até podem ser boas atletas, mas entradas a pés juntos, faltas para cartão vermelho e suspensões por jogo perigoso, só os gajos.

5 - CAPACIDADE DE FERTILIZAR OVOS - Sim, nós temos fertilizado a história da humanidade. Estudos recentes apontam para a possibilidade de a mulher ser capaz de gerar esperma a partir da sua própria medula, mas também há estudos para gerar bebés em laboratório e de certeza que estes estudos são conduzidos por lésbicas. A verdade é que até ao dia em que a nossa prole tenha nomes como 112a ou 733f, os nossos "peixes cabeçudos" continuarão a atingir o alvo.

4 - MIJAR EM PÉ - O quê? fila para mijar? Nahhh. Gajo à rasca alivia-se onde for preciso. Enquanto a gaja tem de encontrar refugio para se despir, agachar e aliviar, o processo do gajo é muito mais simples: encosta-se ao primeiro muro e ainda escreve a urina o seu nome próprio. Com talento até consegue fazer o acento no "é" de José.

3 - ENVELHECER DEVAGAR - Desculpem meninas, vocês e todos os vossos cremes , loções hidratantes e remédios rejuvenescedores miraculosos. Mas as nossas hormonas masculinas conferem-nos pele lisa o que significa menos rugas e pele jovem durante mais tempo. Considerem isto como uma espécie de anomalia genética.

2 - SER PRESIDENTE DA REPÚBLICA- Sim, já houve (e ainda há) gajas com papeis politicos proeminentes, até já tivemos gajas ministras, criámos leis para aumentar o numero de deputadas na assembleia e até já tivémos UMA 1ºMinistro. De resto, tivemos sempre foi 1as Damas.

1 - A CAPACIDADE DE F***R CENAS- É que um gajo quando quer consegue! Conseguimos enfiar-nos no meio de qualquer cena melhor do que qualquer outra cena. Claro, uns conseguem-no melhor do que outros, mas nenhum dispositivo com pega anatómica, vibração por ultra-sons, luz led ou tonificador hidropónico consegue superar a nossa habilidade natural.

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Béque tu uôrque

Olá Amiguinhos,

Como poderão constatar pelo súbito ressurgimento da acentuação de texto, este vosso amigo está de novo a quebrar milho num teclado de computador que "fala" Português. Pois é, acabou-se a odisseia Americana.
Foi giro, quase tudo giro, mas claro, houve coisas menos boas como por exemplo ter perdido o meu telemóvel. O malvado saltou-me do bolso aqui. Só não sei se foi no 2º looping ou se naquele parafuso triplo à esquerda. O mais chato foi ficar sem contactos. Sim, eu não sei numeros nenhuns de cor. Enfim, até gostava do aparelho, nunca mais o vi, paz à sua alma.
Apesar de já estar de volta à minha vidinha no seu ritmo normal (com telefone novo e tudo), confesso que ainda não recuperei do jet-lag. A terrível viagem de regresso acentuou esse efeito nefasto. A brincar a brincar foram 32 horas seguidas entre: aeroportos; portões de embarque; duty free shop's; Boeing's e Airbus's.
Adivinhava-se o pior, logo pela manhã em Miami, na sala de embarque, quando vi um homem de fato macaco amarelo do lado de fora do avião, onde supostamente eu iria embarcar, a fazer abanar o flap traseiro e a olhar práquilo com ar desconfiado. Acentuou-se quando o placar de embarque passou a anunciar "Delayed" e confirmou-se (duas horas depois) quando mudou para -Cancelled-. O hospedeiro então, anunciou que iriamos ser redireccionados para voos alternativos. E assim foi.
Saida de Miami ás 20h locais com destino a Dusseldorf, daí para Munique e finalmente de Munique para Lisboa onde aterrei ao fim da tarde do dia seguinte...ufa!
E a história não acaba aqui. No tapete da recolha de bagagem da Portela uma das minhas duas malas teimava em não aparecer. Uma hora de seca depois o pessoal dos perdidos e achados informa-me que ela se tinha extraviado algures na Alemanha e que eu só a iría ver amanhã perto do meio-dia. Para cúmulo quando a fui buscar, a mala do tipo trolley, estava com as rodas quadradas e da pega só sobrou um ferro retorcido. O conteúdo estava intacto mas a fiel companheira de tantas viagens terminou ali os seus dias, uma pena.
Há dias de manhã que um gajo à tarde não pode sair à noite!